Preciso ter passagem de ida e volta para embarcar para o meu intercâmbio?

Depende. Via de regra, estudantes brasileiros precisam viajar com a passagem de volta comprada. No caso da Europa, a exceção acontece se o intercambista tiver dupla nacionalidade, sendo uma delas europeia.

O mais aconselhável é comprar sim a passagem de ida e volta para não levantar suspeitas na imigração. Todos dos dias pessoas tentam permanecer ilegalmente na Europa e comportamentos como o de só viajar com a passagem de ida podem ser indicativos de que o estudante pretende ficar por tempo indeterminado no continente.

Mesmo que você vá fazer o intercâmbio de estudo + trabalho na Irlanda e pretenda renovar seu curso, compre a passagem de volta para evitar essa dor de cabeça na imigração. Se tiver uma opção de bilhete mais flexível, compre-o.

Outros documentos obrigatórios para embarcar para o intercâmbio

Além da passagem aérea de volta, o estudante precisará ter em mãos o passaporte válido. A validade exigida poderá variar de acordo com o país. Aconselhamos que ele tenha validade de, no mínimo, 6 meses após a data prevista para volta. Assim, se a volta está marcada para o dia 20 de junho, aconselhamos que o passaporte esteja válido até, pelo menos, 20 de dezembro.

O visto pode ser um dos documentos obrigatórios exigidos para o intercâmbio, vai depender do país que você pretender estudar. No caso de países da Europa, o visto não é exigido se o intercambista for estudar por até 90 dias, sendo que na Inglaterra esse prazo é de 180 dias.

Por outro lado, se o destino do intercâmbio for o Canadá o estudante precisará solicitar um visto, seja de turista ou estudante. O tipo de visto será determinado pela duração do intercâmbio, se inferior a 6 meses será visto de turista, se superior será de estudante.

Alguns países exigem, também, que o estudante tenha um seguro viagem. No caso da Irlanda, por exemplo, se o estudante for se aplicar para o visto de estudo + trabalho precisará ter o seguro governamental, mas poderá optar por adquirir ou não o seguro viagem privado. Já, no caso de Malta ou outro país que faz parte do Acordo de Schengen será necessário ter um seguro viagem com cobertura mínima de 30.000 euros.

O comprovante de acomodação é um documento obrigatório e deve ser apresentado, caso solicitado. O estudante precisará comprovar que possui lugar para ficar, nem que seja nos primeiros dias do intercâmbio.

Por último, será necessário comprovar que possui dinheiro para se manter no país sem passar dificuldades financeiras. Essa comprovação também vai variar de acordo com o país de destino, a duração do intercâmbio e o tipo de visto. No caso da Irlanda, por exemplo, se optar por fazer o intercâmbio de estudo + trabalho o estudante precisará comprovar que possui 3.000 euros. Ainda está com dúvidas sobre quais são os documentos necessários para seu intercâmbio? Converse com um de nossos consultores, pois eles são especialistas no assunto e poderão te ajudar da melhor forma possível!